pt.mpmn-digital.com
Novas receitas

Cabelo grisalho aumenta o risco de doenças cardíacas mais do que obesidade

Cabelo grisalho aumenta o risco de doenças cardíacas mais do que obesidade


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Calvície precoce e grisalho, como obesidade, é provavelmente genético - e os estudos agora mostram que é um maior fator de risco para doenças cardíacas do que ter aqueles quilos extras. O estudo, publicado pela European Society of Cardiology, avaliou dados de 2.000 homens com menos de 40 anos. Homens que eram prematuramente calvos ou grisalhos tinham 5,6 vezes mais probabilidade de ter doenças cardíacas do que aqueles com uma cabeça cheia de cabelo.

Este espelho resultados semelhantes encontrados em 2013, que mostrou que a calvície precoce aumenta o risco de doenças cardíacas em 32 por cento.

Pessoas obesas têm uma probabilidade um pouco menos de quatro vezes maior do que pessoas com IMC médio de ter doenças cardíacas. Pessoas abaixo do peso têm duas vezes mais chances de desenvolver doenças cardíacas, enquanto estar ligeiramente acima do peso na verdade mostrou ser um protetor fator contra doenças cardíacas. Isso tudo está de acordo com um estudo publicado no European Heart Journal.

É uma “dieta para cabelos” próximo na receita da América? Nós sabemos a obesidade está em alta, mas a porcentagem de América que está ficando cinza ainda precisa ser avaliada completamente.

“Este estudo sugere que identificar homens com queda prematura de cabelo e envelhecimento precoce pode ajudar a identificar aqueles com maior risco de desenvolver doenças cardíacas”, disse o Dr. Mike Knapton, diretor médico associado da British Heart Foundation. Knapton alertou para não se preocupar muito com o estudo, pois a queda de cabelo e o envelhecimento não são algo que as pessoas podem mudar.

A obesidade também pode não ser alterável - nenhum método, regime ou dieta tem se mostrado eficaz para a maioria dos que tentam manter a perda de peso a longo prazo. Na verdade, de acordo com muitos estudos, a perda de peso em curto prazo (mais de 12 meses) em quase todas as dietas é mínima (com média de menos de 5 libras) e o peso é frequentemente recuperado. Um estudo mostrou que as tentativas de perda de peso foram realmente correlacionadas com o peso a longo prazo ganho em vez de perda.

E evidências ainda mais recentes sugerem que a obesidade tem um componente genético, o que significa que independentemente dos hábitos de vida de uma pessoa, seu peso é amplamente predeterminado.

Sobre a calvície precoce, Knapton afirma: “Isso não é algo que as pessoas possam mudar, enquanto você pode modificar seu estilo de vida e fatores de risco, como colesterol alto e pressão arterial. Essas são coisas muito mais importantes a se considerar. ” O mesmo poderia ser dito para pacientes obesos, também - talvez a resposta esteja em tratar os pacientes prescrevendo mudanças saudáveis ​​no estilo de vida, em vez de métodos arriscados de perda de peso.


9 novas descobertas sobre gordura que vão esclarecer muito

Em um minuto, você está encharcando tudo o que come em azeite, no próximo você está enchendo sua despensa com nada além de guloseimas "sem gordura". Descobrir a gordura é muito confuso. e irritante. A grande notícia: esses 9 novos fatos sobre gorduras são tudo que você precisa saber sobre como escolher as gorduras certas e navegar pelas gorduras incompletas.

Depois que vários estudos confirmaram os benefícios para a saúde do coração de uma dieta mediterrânea & mdash, que inclui várias fontes de gorduras insaturadas, & mdashtop acadêmicos estão pedindo uma mudança na recomendação do USDA para limitar as calorias diárias da gordura. "A quantidade de gordura total é irrelevante e não devemos usar nenhuma regra numérica", diz Walter Willett, chefe do departamento de nutrição da Harvard School of Public Health. "Mas o tipo de gordura ainda é relevante." para obter a maior parte de suas gorduras de alimentos integrais, como nozes, peixe, abacate, grãos ricos em fibras e azeite de oliva, e agrave la a dieta mediterrânea (em vez de lanches de 100 calorias). (Estas 20 refeições mediterrâneas ridiculamente saudáveis ​​cabem a conta perfeitamente.)

Ou seja, carboidratos refinados e açúcar (veja este infográfico sobre o que o açúcar faz ao seu corpo como prova). Embora você possa querer limitar certas gorduras saturadas, não é melhor substituí-las por amido refinado ou açúcar - por exemplo, colocando manteiga em favor de geleia em sua torrada. É útil, por outro lado, cortar a gordura saturada se você substituí-la por gordura insaturada - por exemplo, trocando manteiga por manteiga de amêndoa ou amendoim.

Embora a gordura saturada em quantidades moderadas faça parte de muitos alimentos saudáveis, como azeite de oliva e peixe, as gorduras trans devem ser evitadas completamente, diz Willett. Essas gorduras artificiais não têm valor nutricional e mostraram aumentar o colesterol LDL "ruim" e diminuir o colesterol HDL "bom", bem como aumentar os riscos de doenças cardíacas e diabetes. Saiba mais sobre gorduras boas e gorduras ruins, aqui.

Uma dieta de estilo mediterrâneo rica em alimentos integrais, especialmente vegetais, azeite, nozes, sementes, peixes e grãos inteiros, e com baixo teor de alimentos processados, carnes e laticínios, cortará seus desejos por coisas ruins e gordura saturada de mdash, amidos refinados, e açúcar.

Ok, se você quiser ter certeza, terá que fazer uma ressonância magnética abdominal, que pode custar várias centenas de dólares. A próxima melhor coisa: este teste rápido, cortesia de Pamela Peeke, professora de medicina da Universidade de Maryland e autora de Lute contra a gordura depois dos 40:

  • Deite-se no chão e pressione os dedos indicadores logo acima de um lado do osso pélvico.
  • Ao empurrar para baixo, contraia os músculos abdominais.
  • Passe os dedos indicadores pela parede do músculo abdominal até o umbigo: & ldquoit deve ser agradável e plano, como um pedaço de plástico esticado & rdquo diz Peeke. Se ficar para cima, você deve ter gordura visceral, que está empurrando os músculos abdominais para cima.

A gordura branca produz um hormônio chamado adiponectina, que ajuda a regular a produção de insulina. Pessoas magras têm células de gordura pequenas, que liberam mais adiponectina reguladora da insulina do que as células de gordura grandes que as pessoas mais pesadas possuem. Esta é uma das razões pelas quais o excesso de peso pode ser prejudicial à saúde. "Quando você ganha peso e as células de gordura aumentam de tamanho, elas produzem menos adiponectina, o que aumenta o risco de doenças como diabetes e doenças cardíacas", explica Louis Aronne, MD, diretor da Clínica de Obesidade em Cornell.

Buuut, apenas 2 calorias por dia por quilo de gordura. Muito preferível: músculo, que queima 6 calorias por dia por quilo. Aqui estão os 4 tipos diferentes de gordura corporal, explicados.

A maioria das pessoas precisa de mais gordura marrom, descobriu pesquisas recentes. Como os músculos, esse material queima calorias mesmo quando você está em repouso. E você pode criar reservas adicionais de gordura marrom se exercitando: longas sessões de exercícios aeróbicos liberam o hormônio íris, que ajuda a converter a gordura branca em marrom, de acordo com um estudo recente. (Saiba mais sobre a gordura marrom aqui.)

Mulheres com cinturas acima de 37 polegadas têm um risco 80% maior de doenças como doenças cardíacas, problemas pulmonares ou câncer em comparação com mulheres cuja cintura era inferior a 27 polegadas, de acordo com uma revisão da Mayo Clinic publicada em março passado. Cada aumento de duas polegadas se traduziu em um aumento de 9% no risco de mortalidade.


9 novas descobertas sobre gordura que vão esclarecer muito

Em um minuto, você está encharcando tudo o que come em azeite, no próximo você está enchendo sua despensa com nada além de guloseimas "sem gordura". Descobrir a gordura é muito confuso. e irritante. A grande notícia: esses 9 novos fatos sobre gorduras são tudo que você precisa saber sobre como escolher as gorduras certas e navegar pelas gorduras incompletas.

Depois que vários estudos confirmaram os benefícios para a saúde do coração de uma dieta mediterrânea & mdash, que inclui várias fontes de gorduras insaturadas, & mdashtop acadêmicos estão pedindo uma mudança na recomendação do USDA para limitar as calorias diárias da gordura. "A quantidade de gordura total é irrelevante e não devemos usar nenhuma regra numérica", diz Walter Willett, chefe do departamento de nutrição da Harvard School of Public Health. "Mas o tipo de gordura ainda é relevante." para obter a maior parte de suas gorduras de alimentos integrais, como nozes, peixe, abacate, grãos ricos em fibras e azeite de oliva, e agrave la a dieta mediterrânea (em vez de lanches de 100 calorias). (Estas 20 refeições mediterrâneas ridiculamente saudáveis ​​cabem a conta perfeitamente.)

Ou seja, carboidratos refinados e açúcar (veja este infográfico sobre o que o açúcar faz ao seu corpo como prova). Embora você possa querer limitar certas gorduras saturadas, não é melhor substituí-las por amido refinado ou açúcar - por exemplo, colocando manteiga em favor de geleia em sua torrada. É útil, por outro lado, cortar a gordura saturada se você substituí-la por gordura insaturada - por exemplo, trocando manteiga por manteiga de amêndoa ou amendoim.

Embora a gordura saturada em quantidades moderadas faça parte de muitos alimentos saudáveis, como azeite de oliva e peixe, as gorduras trans devem ser evitadas completamente, diz Willett. Essas gorduras artificiais não têm valor nutricional e mostraram aumentar o colesterol LDL "ruim" e diminuir o colesterol HDL "bom", bem como aumentar os riscos de doenças cardíacas e diabetes. Saiba mais sobre gorduras boas e gorduras ruins, aqui.

Uma dieta de estilo mediterrâneo rica em alimentos integrais, especialmente vegetais, azeite, nozes, sementes, peixes e grãos inteiros, e com baixo teor de alimentos processados, carnes e laticínios, cortará seus desejos por coisas ruins e gordura saturada de mdash, amidos refinados, e açúcar.

Ok, se você quiser ter certeza, terá que fazer uma ressonância magnética abdominal, que pode custar várias centenas de dólares. A próxima melhor coisa: este teste rápido, cortesia de Pamela Peeke, professora de medicina da Universidade de Maryland e autora de Lute contra a gordura depois dos 40:

  • Deite-se no chão e pressione os dedos indicadores logo acima de um lado do osso pélvico.
  • Ao empurrar para baixo, contraia os músculos abdominais.
  • Passe os dedos indicadores pela parede do músculo abdominal até o umbigo: & ldquoit deve ser agradável e plano, como um pedaço de plástico esticado & rdquo diz Peeke. Se ficar para cima, você deve ter gordura visceral, que está empurrando os músculos abdominais para cima.

A gordura branca produz um hormônio chamado adiponectina, que ajuda a regular a produção de insulina. Pessoas magras têm células de gordura pequenas, que liberam mais adiponectina reguladora da insulina do que as células de gordura grandes que as pessoas mais pesadas possuem. Esta é uma das razões pelas quais o excesso de peso pode ser prejudicial à saúde. "Quando você ganha peso e as células de gordura aumentam de tamanho, elas produzem menos adiponectina, o que aumenta o risco de doenças como diabetes e doenças cardíacas", explica Louis Aronne, MD, diretor da Clínica de Obesidade em Cornell.

Buuut, apenas 2 calorias por dia por quilo de gordura. Muito preferível: músculo, que queima 6 calorias por dia por quilo. Aqui estão os 4 tipos diferentes de gordura corporal, explicados.

A maioria das pessoas precisa de mais gordura marrom, descobriu pesquisas recentes. Como os músculos, esse material queima calorias mesmo quando você está em repouso. E você pode criar reservas adicionais de gordura marrom se exercitando: longas sessões de exercícios aeróbicos liberam o hormônio íris, que ajuda a converter a gordura branca em marrom, de acordo com um estudo recente. (Saiba mais sobre a gordura marrom aqui.)

Mulheres com cinturas acima de 37 polegadas têm um risco 80% maior de doenças como doenças cardíacas, problemas pulmonares ou câncer em comparação com mulheres cuja cintura era inferior a 27 polegadas, de acordo com uma revisão da Clínica Mayo publicada em março passado. Cada aumento de duas polegadas se traduziu em um aumento de 9% no risco de mortalidade.


9 novas descobertas sobre gordura que vão esclarecer muito

Em um minuto, você está encharcando tudo o que come em azeite de oliva, no próximo você está enchendo sua despensa com nada além de guloseimas "sem gordura". Descobrir a gordura é muito confuso. e irritante. A grande notícia: esses 9 novos fatos sobre gorduras são tudo que você precisa saber sobre como escolher as gorduras certas e navegar pelas gorduras incompletas.

Depois que vários estudos confirmaram os benefícios para a saúde do coração de uma dieta mediterrânea & mdash, que inclui várias fontes de gorduras insaturadas, & mdashtop acadêmicos estão pedindo uma mudança na recomendação do USDA para limitar as calorias diárias da gordura. "A quantidade de gordura total é irrelevante e não devemos usar nenhuma regra numérica", diz Walter Willett, chefe do departamento de nutrição da Harvard School of Public Health. "Mas o tipo de gordura ainda é relevante." para obter a maior parte de suas gorduras de alimentos integrais, como nozes, peixe, abacate, grãos ricos em fibras e azeite de oliva, e agrave la a dieta mediterrânea (em vez de lanches de 100 calorias). (Estas 20 refeições mediterrâneas ridiculamente saudáveis ​​cabem a conta perfeitamente.)

Ou seja, carboidratos refinados e açúcar (veja este infográfico sobre o que o açúcar faz ao seu corpo como prova). Embora você possa querer limitar certas gorduras saturadas, não é melhor substituí-las por amido refinado ou açúcar - por exemplo, colocando manteiga em favor de geleia em sua torrada. É útil, por outro lado, cortar a gordura saturada se você substituí-la por gordura insaturada - por exemplo, trocando manteiga por manteiga de amêndoa ou amendoim.

Embora a gordura saturada em quantidades moderadas faça parte de muitos alimentos saudáveis, como azeite de oliva e peixe, as gorduras trans devem ser evitadas completamente, diz Willett. Essas gorduras artificiais não têm valor nutricional e mostraram aumentar o colesterol LDL "ruim" e diminuir o colesterol HDL "bom", bem como aumentar os riscos de doenças cardíacas e diabetes. Saiba mais sobre gorduras boas e gorduras ruins, aqui.

Uma dieta de estilo mediterrâneo rica em alimentos integrais, especialmente vegetais, azeite, nozes, sementes, peixes e grãos inteiros, e com baixo teor de alimentos processados, carnes e laticínios, cortará seus desejos por coisas ruins e gordura saturada de mdash, amidos refinados, e açúcar.

Ok, se você quiser ter certeza, terá que fazer uma ressonância magnética abdominal, que pode custar várias centenas de dólares. A próxima melhor coisa: este teste rápido, cortesia de Pamela Peeke, professora de medicina da Universidade de Maryland e autora de Lute contra a gordura depois dos 40:

  • Deite-se no chão e pressione os dedos indicadores logo acima de um lado do osso pélvico.
  • Ao empurrar para baixo, contraia os músculos abdominais.
  • Passe os dedos indicadores pela parede do músculo abdominal até o umbigo: & ldquoit deve ser agradável e plano, como um pedaço de plástico esticado & rdquo diz Peeke. Se ficar para cima, você deve ter gordura visceral, que está empurrando os músculos abdominais para cima.

A gordura branca produz um hormônio chamado adiponectina, que ajuda a regular a produção de insulina. Pessoas magras têm células de gordura pequenas, que liberam mais adiponectina reguladora da insulina do que as células de gordura grandes que as pessoas mais pesadas possuem. Esta é uma das razões pelas quais o excesso de peso pode ser prejudicial à saúde. "Quando você ganha peso e as células de gordura aumentam de tamanho, elas produzem menos adiponectina, o que por sua vez aumenta o risco de doenças como diabetes e doenças cardíacas", explica Louis Aronne, MD, diretor da Clínica de Obesidade em Cornell.

Buuut, apenas 2 calorias por dia por quilo de gordura. Muito preferível: músculo, que queima 6 calorias por dia por quilo. Aqui estão os 4 tipos diferentes de gordura corporal, explicados.

A maioria das pessoas precisa de mais gordura marrom, descobriu pesquisas recentes. Como os músculos, esse material queima calorias mesmo quando você está em repouso. E você pode criar reservas adicionais de gordura marrom ao se exercitar: longas sessões de exercícios aeróbicos liberam o hormônio íris, que ajuda a converter a gordura branca em marrom, de acordo com um estudo recente. (Saiba mais sobre a gordura marrom aqui.)

Mulheres com cinturas acima de 37 polegadas têm um risco 80% maior de doenças como doenças cardíacas, problemas pulmonares ou câncer em comparação com mulheres cuja cintura era inferior a 27 polegadas, de acordo com uma revisão da Clínica Mayo publicada em março passado. Cada aumento de duas polegadas se traduziu em um aumento de 9% no risco de mortalidade.


9 novas descobertas sobre gordura que vão esclarecer muito

Em um minuto, você está encharcando tudo o que come em azeite de oliva, no próximo você está enchendo sua despensa com nada além de guloseimas "sem gordura". Descobrir a gordura é muito confuso. e irritante. A grande notícia: esses 9 novos fatos sobre gorduras são tudo que você precisa saber sobre como escolher as gorduras certas e navegar pelas gorduras incompletas.

Depois que vários estudos confirmaram os benefícios para a saúde do coração de uma dieta mediterrânea & mdash, que inclui várias fontes de gorduras insaturadas, & mdashtop acadêmicos estão pedindo uma mudança na recomendação do USDA para limitar as calorias diárias da gordura. "A quantidade de gordura total é irrelevante e não devemos usar nenhuma regra numérica", diz Walter Willett, chefe do departamento de nutrição da Harvard School of Public Health. "Mas o tipo de gordura ainda é relevante." para obter a maior parte de suas gorduras de alimentos integrais, como nozes, peixe, abacate, grãos ricos em fibras e azeite de oliva, e agrave la a dieta mediterrânea (em vez de lanches de 100 calorias). (Estas 20 refeições mediterrâneas ridiculamente saudáveis ​​cabem a conta perfeitamente.)

Ou seja, carboidratos refinados e açúcar (veja este infográfico sobre o que o açúcar faz ao seu corpo como prova). Embora você possa querer limitar certas gorduras saturadas, não é melhor substituí-las por amido refinado ou açúcar - por exemplo, colocando manteiga em favor de geleia em sua torrada. É útil, por outro lado, cortar a gordura saturada se você substituí-la por gordura insaturada - por exemplo, trocando manteiga por manteiga de amêndoa ou amendoim.

Embora a gordura saturada em quantidades moderadas faça parte de muitos alimentos saudáveis, como azeite de oliva e peixe, as gorduras trans devem ser evitadas completamente, diz Willett. Essas gorduras artificiais não têm valor nutricional e mostraram aumentar o colesterol LDL "ruim" e diminuir o colesterol HDL "bom", bem como aumentar os riscos de doenças cardíacas e diabetes. Saiba mais sobre gorduras boas e gorduras ruins, aqui.

Uma dieta de estilo mediterrâneo rica em alimentos integrais, especialmente vegetais, azeite, nozes, sementes, peixes e grãos inteiros, e com baixo teor de alimentos processados, carnes e laticínios, cortará seus desejos por coisas ruins e gordura saturada de mdash, amidos refinados, e açúcar.

Ok, se você quiser ter certeza, terá que fazer uma ressonância magnética abdominal, que pode custar várias centenas de dólares. A próxima melhor coisa: este teste rápido, cortesia de Pamela Peeke, professora de medicina da Universidade de Maryland e autora de Lute contra a gordura depois dos 40:

  • Deite-se no chão e pressione os dedos indicadores logo acima de um lado do osso pélvico.
  • Ao empurrar para baixo, contraia os músculos abdominais.
  • Passe os dedos indicadores pela parede do músculo abdominal até o umbigo: & ldquoit deve ser agradável e plano, como um pedaço de plástico esticado & rdquo diz Peeke. Se ficar para cima, você deve ter gordura visceral, que está empurrando os músculos abdominais para cima.

A gordura branca produz um hormônio chamado adiponectina, que ajuda a regular a produção de insulina. Pessoas magras têm células de gordura pequenas, que liberam mais adiponectina reguladora da insulina do que as células de gordura grandes que as pessoas mais pesadas possuem. Esta é uma das razões pelas quais o excesso de peso pode ser prejudicial à saúde. "Quando você ganha peso e as células de gordura aumentam de tamanho, elas produzem menos adiponectina, o que aumenta o risco de doenças como diabetes e doenças cardíacas", explica Louis Aronne, MD, diretor da Clínica de Obesidade em Cornell.

Buuut, apenas 2 calorias por dia por quilo de gordura. Muito preferível: músculo, que queima 6 calorias por dia por quilo. Aqui estão os 4 tipos diferentes de gordura corporal, explicados.

A maioria das pessoas precisa de mais gordura marrom, descobriu pesquisas recentes. Como os músculos, esse material queima calorias mesmo quando você está em repouso. E você pode criar reservas adicionais de gordura marrom ao se exercitar: longas sessões de exercícios aeróbicos liberam o hormônio íris, que ajuda a converter a gordura branca em marrom, de acordo com um estudo recente. (Saiba mais sobre a gordura marrom aqui.)

Mulheres com cinturas acima de 37 polegadas têm um risco 80% maior de doenças como doenças cardíacas, problemas pulmonares ou câncer em comparação com mulheres cuja cintura era inferior a 27 polegadas, de acordo com uma revisão da Clínica Mayo publicada em março passado. Cada aumento de duas polegadas se traduziu em um aumento de 9% no risco de mortalidade.


9 novas descobertas sobre gordura que vão esclarecer muito

Em um minuto, você está encharcando tudo o que come em azeite de oliva, no próximo você está enchendo sua despensa com nada além de guloseimas "sem gordura". Descobrir a gordura é muito confuso. e irritante. A grande notícia: esses 9 novos fatos sobre gorduras são tudo que você precisa saber sobre como escolher as gorduras certas e navegar pelas gorduras incompletas.

Depois que vários estudos confirmaram os benefícios para a saúde do coração de uma dieta mediterrânea & mdash, que inclui várias fontes de gorduras insaturadas, & mdashtop acadêmicos estão pedindo uma mudança na recomendação do USDA para limitar as calorias diárias da gordura. "A quantidade de gordura total é irrelevante e não devemos usar nenhuma regra numérica", diz Walter Willett, chefe do departamento de nutrição da Harvard School of Public Health. "Mas o tipo de gordura ainda é relevante." para obter a maior parte de suas gorduras de alimentos integrais, como nozes, peixe, abacate, grãos ricos em fibras e azeite de oliva, e agrave la a dieta mediterrânea (em vez de lanches de 100 calorias). (Estas 20 refeições mediterrâneas ridiculamente saudáveis ​​cabem a conta perfeitamente.)

Ou seja, carboidratos refinados e açúcar (veja este infográfico sobre o que o açúcar faz ao seu corpo como prova). Embora você possa querer limitar certas gorduras saturadas, não é melhor substituí-las por amido refinado ou açúcar - por exemplo, colocando manteiga em favor de geleia em sua torrada. É útil, por outro lado, cortar a gordura saturada se você substituí-la por gordura insaturada - por exemplo, trocando manteiga por manteiga de amêndoa ou amendoim.

Embora a gordura saturada em quantidades moderadas faça parte de muitos alimentos saudáveis, como azeite de oliva e peixe, as gorduras trans devem ser evitadas completamente, diz Willett. Essas gorduras artificiais não têm valor nutricional e mostraram aumentar o colesterol LDL "ruim" e diminuir o colesterol HDL "bom", bem como aumentar os riscos de doenças cardíacas e diabetes. Saiba mais sobre gorduras boas e gorduras ruins, aqui.

Uma dieta de estilo mediterrâneo rica em alimentos integrais, especialmente vegetais, azeite, nozes, sementes, peixes e grãos inteiros, e com baixo teor de alimentos processados, carnes e laticínios, cortará seus desejos por coisas ruins e gordura saturada de mdash, amidos refinados, e açúcar.

Ok, se você quiser ter certeza, terá que fazer uma ressonância magnética abdominal, que pode custar várias centenas de dólares. A próxima melhor coisa: este teste rápido, cortesia de Pamela Peeke, professora de medicina da Universidade de Maryland e autora de Lute contra a gordura depois dos 40:

  • Deite-se no chão e pressione os dedos indicadores logo acima de um lado do osso pélvico.
  • Ao empurrar para baixo, contraia os músculos abdominais.
  • Passe os dedos indicadores pela parede do músculo abdominal até o umbigo: & ldquoit deve ser agradável e plano, como um pedaço de plástico esticado & rdquo diz Peeke. Se ficar para cima, você deve ter gordura visceral, que está empurrando os músculos abdominais para cima.

A gordura branca produz um hormônio chamado adiponectina, que ajuda a regular a produção de insulina. Pessoas magras têm células de gordura pequenas, que liberam mais adiponectina reguladora da insulina do que as células de gordura grandes que as pessoas mais pesadas possuem. Esta é uma das razões pelas quais o excesso de peso pode ser prejudicial à saúde. "Quando você ganha peso e as células de gordura aumentam de tamanho, elas produzem menos adiponectina, o que aumenta o risco de doenças como diabetes e doenças cardíacas", explica Louis Aronne, MD, diretor da Clínica de Obesidade em Cornell.

Buuut, apenas 2 calorias por dia por quilo de gordura. Muito preferível: músculo, que queima 6 calorias por dia por quilo. Aqui estão os 4 tipos diferentes de gordura corporal, explicados.

A maioria das pessoas precisa de mais gordura marrom, descobriu pesquisas recentes. Como os músculos, esse material queima calorias mesmo quando você está em repouso. E você pode criar reservas adicionais de gordura marrom ao se exercitar: longas sessões de exercícios aeróbicos liberam o hormônio íris, que ajuda a converter a gordura branca em marrom, de acordo com um estudo recente. (Saiba mais sobre a gordura marrom aqui.)

Mulheres com cinturas acima de 37 polegadas têm um risco 80% maior de doenças como doenças cardíacas, problemas pulmonares ou câncer em comparação com mulheres cuja cintura era inferior a 27 polegadas, de acordo com uma revisão da Mayo Clinic publicada em março passado. Cada aumento de duas polegadas se traduziu em um aumento de 9% no risco de mortalidade.


9 novas descobertas sobre gordura que vão esclarecer muito

Em um minuto, você está encharcando tudo o que come em azeite de oliva, no próximo você está enchendo sua despensa com nada além de guloseimas "sem gordura". Descobrir a gordura é muito confuso. e irritante. A grande notícia: esses 9 novos fatos sobre gorduras são tudo que você precisa saber sobre como escolher as gorduras certas e navegar pelas gorduras incompletas.

Depois que vários estudos confirmaram os benefícios de uma dieta mediterrânea para a saúde do coração, que inclui várias fontes de gorduras insaturadas, os acadêmicos do mdashtop estão pedindo uma mudança na recomendação do USDA para limitar as calorias diárias da gordura. "A quantidade de gordura total é irrelevante e não devemos usar nenhuma regra numérica", diz Walter Willett, chefe do departamento de nutrição da Harvard School of Public Health. "Mas o tipo de gordura ainda é relevante." para obter a maior parte de suas gorduras de alimentos integrais, como nozes, peixe, abacate, grãos ricos em fibras e azeite de oliva, e agrave la a dieta mediterrânea (em vez de lanches de 100 calorias). (Estas 20 refeições mediterrâneas ridiculamente saudáveis ​​cabem a conta perfeitamente.)

Ou seja, carboidratos refinados e açúcar (veja este infográfico sobre o que o açúcar faz ao seu corpo como prova). Embora você possa querer limitar certas gorduras saturadas, não é melhor substituí-las por amido refinado ou açúcar - por exemplo, colocando manteiga em favor de geleia em sua torrada. Por outro lado, é útil cortar a gordura saturada se você substituí-la por gordura insaturada - por exemplo, trocando manteiga por manteiga de amêndoa ou amendoim.

Embora a gordura saturada em quantidades moderadas faça parte de muitos alimentos saudáveis, como azeite de oliva e peixe, as gorduras trans devem ser evitadas completamente, diz Willett. Essas gorduras artificiais não têm valor nutricional e mostraram aumentar o colesterol LDL "ruim" e diminuir o colesterol HDL "bom", bem como aumentar os riscos de doenças cardíacas e diabetes. Saiba mais sobre gorduras boas e gorduras ruins, aqui.

Uma dieta de estilo mediterrâneo rica em alimentos integrais, especialmente vegetais, azeite, nozes, sementes, peixes e grãos inteiros, e com baixo teor de alimentos processados, carnes e laticínios, cortará seu desejo por coisas ruins e gordura saturada de mdash, amidos refinados, e açúcar.

Ok, se você quiser ter certeza, terá que fazer uma ressonância magnética abdominal, que pode custar várias centenas de dólares. A próxima melhor coisa: este teste rápido, cortesia de Pamela Peeke, professora de medicina da Universidade de Maryland e autora de Lute contra a gordura depois dos 40:

  • Deite-se no chão e pressione os dedos indicadores logo acima de um lado do osso pélvico.
  • Ao empurrar para baixo, contraia os músculos abdominais.
  • Passe os dedos indicadores pela parede do músculo abdominal até o umbigo: & ldquoit deve ser agradável e plano, como um pedaço de plástico esticado & rdquo diz Peeke. Se ficar para cima, você deve ter gordura visceral, que está empurrando os músculos abdominais para cima.

A gordura branca produz um hormônio chamado adiponectina, que ajuda a regular a produção de insulina. Pessoas magras têm células de gordura pequenas, que liberam mais adiponectina reguladora da insulina do que as células de gordura grandes que as pessoas mais pesadas possuem. Esta é uma das razões pelas quais o excesso de peso pode ser prejudicial à saúde. "Quando você ganha peso e as células de gordura aumentam de tamanho, elas produzem menos adiponectina, o que por sua vez aumenta o risco de doenças como diabetes e doenças cardíacas", explica Louis Aronne, MD, diretor da Clínica de Obesidade em Cornell.

Buuut, apenas 2 calorias por dia por quilo de gordura. Muito preferível: músculo, que queima 6 calorias por dia por quilo. Aqui estão os 4 tipos diferentes de gordura corporal, explicados.

A maioria das pessoas precisa de mais gordura marrom, descobriu pesquisas recentes. Como os músculos, esse material queima calorias mesmo quando você está em repouso. E você pode criar reservas adicionais de gordura marrom se exercitando: longas sessões de exercícios aeróbicos liberam o hormônio íris, que ajuda a converter a gordura branca em marrom, de acordo com um estudo recente. (Saiba mais sobre a gordura marrom aqui.)

Mulheres com cinturas acima de 37 polegadas têm um risco 80% maior de doenças como doenças cardíacas, problemas pulmonares ou câncer em comparação com mulheres cuja cintura era inferior a 27 polegadas, de acordo com uma revisão da Mayo Clinic publicada em março passado. Cada aumento de duas polegadas se traduziu em um aumento de 9% no risco de mortalidade.


9 novas descobertas sobre gordura que vão esclarecer muito

Em um minuto, você está encharcando tudo o que come em azeite, no próximo você está enchendo sua despensa com nada além de guloseimas "sem gordura". Descobrir a gordura é muito confuso. e irritante. A grande notícia: esses 9 novos fatos sobre gorduras são tudo que você precisa saber sobre como escolher as gorduras certas e navegar pelas gorduras incompletas.

Depois que vários estudos confirmaram os benefícios de uma dieta mediterrânea para a saúde do coração, que inclui várias fontes de gorduras insaturadas, os acadêmicos do mdashtop estão pedindo uma mudança na recomendação do USDA para limitar as calorias diárias da gordura. "A quantidade de gordura total é irrelevante e não devemos usar nenhuma regra numérica", diz Walter Willett, chefe do departamento de nutrição da Harvard School of Public Health. "Mas o tipo de gordura ainda é relevante." para obter a maior parte de suas gorduras de alimentos integrais, como nozes, peixe, abacate, grãos ricos em fibras e azeite de oliva, e agrave la a dieta mediterrânea (em vez de lanches de 100 calorias). (Estas 20 refeições mediterrâneas ridiculamente saudáveis ​​cabem a conta perfeitamente.)

Ou seja, carboidratos refinados e açúcar (veja este infográfico sobre o que o açúcar faz ao seu corpo como prova). Embora você possa querer limitar certas gorduras saturadas, não é melhor substituí-las por amido refinado ou açúcar - por exemplo, colocando manteiga em favor de gelatina em sua torrada. Por outro lado, é útil cortar a gordura saturada se você substituí-la por gordura insaturada - por exemplo, trocando manteiga por manteiga de amêndoa ou amendoim.

Embora a gordura saturada em quantidades moderadas faça parte de muitos alimentos saudáveis, como azeite de oliva e peixe, as gorduras trans devem ser evitadas completamente, diz Willett. Essas gorduras artificiais não têm valor nutricional e mostraram aumentar o colesterol LDL "ruim" e diminuir o colesterol HDL "bom", bem como aumentar os riscos de doenças cardíacas e diabetes. Saiba mais sobre gorduras boas e gorduras ruins, aqui.

Uma dieta de estilo mediterrâneo rica em alimentos integrais, especialmente vegetais, azeite, nozes, sementes, peixes e grãos inteiros, e com baixo teor de alimentos processados, carnes e laticínios, cortará seus desejos por coisas ruins e gordura saturada de mdash, amidos refinados, e açúcar.

Ok, se você quiser ter certeza, terá que fazer uma ressonância magnética abdominal, que pode custar várias centenas de dólares. A próxima melhor coisa: este teste rápido, cortesia de Pamela Peeke, professora de medicina da Universidade de Maryland e autora de Lute contra a gordura depois dos 40:

  • Deite-se no chão e pressione os dedos indicadores logo acima de um lado do osso pélvico.
  • Ao empurrar para baixo, contraia os músculos abdominais.
  • Passe os dedos indicadores pela parede do músculo abdominal até o umbigo: & ldquoit deve ser agradável e plano, como um pedaço de plástico esticado & rdquo diz Peeke. Se ficar para cima, você deve ter gordura visceral, que está empurrando os músculos abdominais para cima.

A gordura branca produz um hormônio chamado adiponectina, que ajuda a regular a produção de insulina. Thin people have small fat cells, which release more insulin-regulating adiponectin than the large fat cells that heavier people have. This is one of the reasons why being overweight can be bad for health. "When you gain weight and fat cells increase in size, they produce less adiponectin, which in turn raises risk of conditions like diabetes and heart disease," explains Louis Aronne, MD, director of the Obesity Clinic at Cornell.

Buuut, only 2 calories a day per pound of fat. Far preferable: muscle, which burns 6 calories a day per pound. Here are the 4 different types of body fat, explained.

Most people need more brown fat, finds recent research. Like muscle, this stuff burns calories even when you're at rest. And you can create additional stores of brown fat by exercising: Long bouts of aerobic exercise release the hormone iris in, which helps convert white fat into brown, according to one recent study. (Learn more about brown fat here.)

Women with waists over 37 inches have an 80% higher risk of conditions like heart disease, lung problems or cancer compared to women whose waist span was under 27 inches, according to a Mayo Clinic review published this past March. Every two-inch increase translated into a 9% increased mortality risk.


9 New Discoveries About Fat That Will Clarify A Lot

One minute, you're drenching everything you eat in olive oil, the next you're filling your pantry with nothing but "fat-free" goodies. Figuring out fat is beyond confusing. and annoying. The great news: these 9 new fat facts are all you need to know to about choosing the right fats and navigating around the sketchy ones.

After a number of studies confirmed the heart-healthy benefits of a Mediterranean diet&mdashwhich includes several sources of unsaturated fats&mdashtop academics are calling for change to the USDA recommendation to limit daily calories from fat. "The amount of total fat is irrelevant, and we shouldn't be using any numerical rule,&rdquo says Walter Willett, chair of the department of nutrition at Harvard School of Public Health. "But the type of fat is still relevant." Aim to get the majority of your fats from whole foods such as nuts, fish, avocado, high-fiber grains, and olive oil, à la the Mediterranean diet (rather than 100-calorie snack packs). (These 20 ridiculously healthy Mediterranean meals fit the bill perfectly.)

Namely, refined carbs and sugar (see this infographic of what sugar does to your body for proof). While you may want to limit certain saturated fats, it's no better to replace them with refined starch or sugar&mdashfor example, dropping butter in favor of jelly on your toast. It is helpful, on the other hand, to cut saturated fat if you replace it with unsaturated fat&mdashfor example, swapping butter with almond or peanut butter.

While saturated fat in moderate amounts is part of many healthy foods, such as olive oil and fish, trans fats should be avoided completely, Willett says. These artificial fats have no nutritional value and have been shown to raise "bad" LDL cholesterol and lower "good" HDL cholesterol, as well as increase risks of heart disease and diabetes. Learn more about good fats and bad fats, here.

A Mediterranean-style diet rich in whole foods, especially vegetables, olive oil, nuts, seeds, fish, and whole grains, and low in processed foods, meats, and dairy, will cut your cravings for the bad stuff&mdashsaturated fat, refined starches, and sugar.

Okay, if you want to know for sure, you'll have to have an abdominal MRI, which can cost several hundred dollars. The next best thing: This quick test, courtesy of Pamela Peeke, professor of medicine at the University of Maryland and author of Fight Fat After 40:

  • Lie flat on the floor and press your index fingers right above one side of your pelvic bone.
  • As you push down, tighten up your abdominal muscles.
  • Walk your index fingers across your abdominal muscle wall to your belly button: &ldquoit should feel nice and flat, like a stretched out piece of plastic,&rdquo says Peeke. If it sticks up, you&rsquove got visceral fat, which is pushing your ab muscles up.

White fat produces a hormone called adiponectin, which helps regulate insulin production. Thin people have small fat cells, which release more insulin-regulating adiponectin than the large fat cells that heavier people have. This is one of the reasons why being overweight can be bad for health. "When you gain weight and fat cells increase in size, they produce less adiponectin, which in turn raises risk of conditions like diabetes and heart disease," explains Louis Aronne, MD, director of the Obesity Clinic at Cornell.

Buuut, only 2 calories a day per pound of fat. Far preferable: muscle, which burns 6 calories a day per pound. Here are the 4 different types of body fat, explained.

Most people need more brown fat, finds recent research. Like muscle, this stuff burns calories even when you're at rest. And you can create additional stores of brown fat by exercising: Long bouts of aerobic exercise release the hormone iris in, which helps convert white fat into brown, according to one recent study. (Learn more about brown fat here.)

Women with waists over 37 inches have an 80% higher risk of conditions like heart disease, lung problems or cancer compared to women whose waist span was under 27 inches, according to a Mayo Clinic review published this past March. Every two-inch increase translated into a 9% increased mortality risk.


9 New Discoveries About Fat That Will Clarify A Lot

One minute, you're drenching everything you eat in olive oil, the next you're filling your pantry with nothing but "fat-free" goodies. Figuring out fat is beyond confusing. and annoying. The great news: these 9 new fat facts are all you need to know to about choosing the right fats and navigating around the sketchy ones.

After a number of studies confirmed the heart-healthy benefits of a Mediterranean diet&mdashwhich includes several sources of unsaturated fats&mdashtop academics are calling for change to the USDA recommendation to limit daily calories from fat. "The amount of total fat is irrelevant, and we shouldn't be using any numerical rule,&rdquo says Walter Willett, chair of the department of nutrition at Harvard School of Public Health. "But the type of fat is still relevant." Aim to get the majority of your fats from whole foods such as nuts, fish, avocado, high-fiber grains, and olive oil, à la the Mediterranean diet (rather than 100-calorie snack packs). (These 20 ridiculously healthy Mediterranean meals fit the bill perfectly.)

Namely, refined carbs and sugar (see this infographic of what sugar does to your body for proof). While you may want to limit certain saturated fats, it's no better to replace them with refined starch or sugar&mdashfor example, dropping butter in favor of jelly on your toast. It is helpful, on the other hand, to cut saturated fat if you replace it with unsaturated fat&mdashfor example, swapping butter with almond or peanut butter.

While saturated fat in moderate amounts is part of many healthy foods, such as olive oil and fish, trans fats should be avoided completely, Willett says. These artificial fats have no nutritional value and have been shown to raise "bad" LDL cholesterol and lower "good" HDL cholesterol, as well as increase risks of heart disease and diabetes. Learn more about good fats and bad fats, here.

A Mediterranean-style diet rich in whole foods, especially vegetables, olive oil, nuts, seeds, fish, and whole grains, and low in processed foods, meats, and dairy, will cut your cravings for the bad stuff&mdashsaturated fat, refined starches, and sugar.

Okay, if you want to know for sure, you'll have to have an abdominal MRI, which can cost several hundred dollars. The next best thing: This quick test, courtesy of Pamela Peeke, professor of medicine at the University of Maryland and author of Fight Fat After 40:

  • Lie flat on the floor and press your index fingers right above one side of your pelvic bone.
  • As you push down, tighten up your abdominal muscles.
  • Walk your index fingers across your abdominal muscle wall to your belly button: &ldquoit should feel nice and flat, like a stretched out piece of plastic,&rdquo says Peeke. If it sticks up, you&rsquove got visceral fat, which is pushing your ab muscles up.

White fat produces a hormone called adiponectin, which helps regulate insulin production. Thin people have small fat cells, which release more insulin-regulating adiponectin than the large fat cells that heavier people have. This is one of the reasons why being overweight can be bad for health. "When you gain weight and fat cells increase in size, they produce less adiponectin, which in turn raises risk of conditions like diabetes and heart disease," explains Louis Aronne, MD, director of the Obesity Clinic at Cornell.

Buuut, only 2 calories a day per pound of fat. Far preferable: muscle, which burns 6 calories a day per pound. Here are the 4 different types of body fat, explained.

Most people need more brown fat, finds recent research. Like muscle, this stuff burns calories even when you're at rest. And you can create additional stores of brown fat by exercising: Long bouts of aerobic exercise release the hormone iris in, which helps convert white fat into brown, according to one recent study. (Learn more about brown fat here.)

Women with waists over 37 inches have an 80% higher risk of conditions like heart disease, lung problems or cancer compared to women whose waist span was under 27 inches, according to a Mayo Clinic review published this past March. Every two-inch increase translated into a 9% increased mortality risk.


9 New Discoveries About Fat That Will Clarify A Lot

One minute, you're drenching everything you eat in olive oil, the next you're filling your pantry with nothing but "fat-free" goodies. Figuring out fat is beyond confusing. and annoying. The great news: these 9 new fat facts are all you need to know to about choosing the right fats and navigating around the sketchy ones.

After a number of studies confirmed the heart-healthy benefits of a Mediterranean diet&mdashwhich includes several sources of unsaturated fats&mdashtop academics are calling for change to the USDA recommendation to limit daily calories from fat. "The amount of total fat is irrelevant, and we shouldn't be using any numerical rule,&rdquo says Walter Willett, chair of the department of nutrition at Harvard School of Public Health. "But the type of fat is still relevant." Aim to get the majority of your fats from whole foods such as nuts, fish, avocado, high-fiber grains, and olive oil, à la the Mediterranean diet (rather than 100-calorie snack packs). (These 20 ridiculously healthy Mediterranean meals fit the bill perfectly.)

Namely, refined carbs and sugar (see this infographic of what sugar does to your body for proof). While you may want to limit certain saturated fats, it's no better to replace them with refined starch or sugar&mdashfor example, dropping butter in favor of jelly on your toast. It is helpful, on the other hand, to cut saturated fat if you replace it with unsaturated fat&mdashfor example, swapping butter with almond or peanut butter.

While saturated fat in moderate amounts is part of many healthy foods, such as olive oil and fish, trans fats should be avoided completely, Willett says. These artificial fats have no nutritional value and have been shown to raise "bad" LDL cholesterol and lower "good" HDL cholesterol, as well as increase risks of heart disease and diabetes. Learn more about good fats and bad fats, here.

A Mediterranean-style diet rich in whole foods, especially vegetables, olive oil, nuts, seeds, fish, and whole grains, and low in processed foods, meats, and dairy, will cut your cravings for the bad stuff&mdashsaturated fat, refined starches, and sugar.

Okay, if you want to know for sure, you'll have to have an abdominal MRI, which can cost several hundred dollars. The next best thing: This quick test, courtesy of Pamela Peeke, professor of medicine at the University of Maryland and author of Fight Fat After 40:

  • Lie flat on the floor and press your index fingers right above one side of your pelvic bone.
  • As you push down, tighten up your abdominal muscles.
  • Walk your index fingers across your abdominal muscle wall to your belly button: &ldquoit should feel nice and flat, like a stretched out piece of plastic,&rdquo says Peeke. If it sticks up, you&rsquove got visceral fat, which is pushing your ab muscles up.

White fat produces a hormone called adiponectin, which helps regulate insulin production. Thin people have small fat cells, which release more insulin-regulating adiponectin than the large fat cells that heavier people have. This is one of the reasons why being overweight can be bad for health. "When you gain weight and fat cells increase in size, they produce less adiponectin, which in turn raises risk of conditions like diabetes and heart disease," explains Louis Aronne, MD, director of the Obesity Clinic at Cornell.

Buuut, only 2 calories a day per pound of fat. Far preferable: muscle, which burns 6 calories a day per pound. Here are the 4 different types of body fat, explained.

Most people need more brown fat, finds recent research. Like muscle, this stuff burns calories even when you're at rest. And you can create additional stores of brown fat by exercising: Long bouts of aerobic exercise release the hormone iris in, which helps convert white fat into brown, according to one recent study. (Learn more about brown fat here.)

Women with waists over 37 inches have an 80% higher risk of conditions like heart disease, lung problems or cancer compared to women whose waist span was under 27 inches, according to a Mayo Clinic review published this past March. Every two-inch increase translated into a 9% increased mortality risk.



Comentários:

  1. Noach

    É simplesmente tema incomparável :)

  2. Jancsi

    Não é desse jeito.

  3. Collyer

    Vou compartilhar um segredo, acontece que nem todo mundo sabe que você pode promover seu recurso com artigos? Venha até mim e veja como outros webmasters já estão fazendo isso. Escreva seu artigo (você pode pegar qualquer post deste blog como base) com links e adicione-o ao meu diretório de artigos. Você tem um link para o diretório, não vou indicá-lo aqui novamente, pois não faz sentido. O registro em catálogos está morrendo, ou pelo menos perdendo espaço, mas a promoção de artigos está ganhando força.

  4. Samuzil

    É claro. Eu concordo com todos os itens acima. Vamos discutir esta questão. Aqui ou em PM.

  5. Macbeth

    você se retirou da conversa



Escreve uma mensagem