pt.mpmn-digital.com
Novas receitas

Anthony Bourdain é banido do Azerbaijão após visitar um território fora dos limites

Anthony Bourdain é banido do Azerbaijão após visitar um território fora dos limites


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


O famoso chef estava filmando "Parts Unknown"

Anthony Bourdain foi supostamente banido do Azerbaijão após ter visitado uma área não permitida por seu governo. De acordo com a Condé Nast Traveller, o chef famoso viajou do Azerbaijão para a disputada região de Nagorno-Karabakh. O governo do Azerbaijão proíbe aqueles que buscam um visto para o país de visitar a região sem o consentimento do Ministério das Relações Exteriores.

Em seu site, a Embaixada da República do Azerbaijão aconselha veementemente que “os cidadãos e residentes permanentes dos Estados Unidos evitem visitar os territórios ocupados da República do Azerbaijão. A região de Nagorno-Karabakh e sete distritos adjacentes da República do Azerbaijão estão atualmente sob ocupação ilegal pela República da Armênia. A natureza ilegal desta ocupação é amplamente reconhecida pela comunidade internacional, incluindo o Conselho de Segurança das Nações Unidas. ”

O comunicado prossegue alertando que quem desobedecer a este protocolo será deportado.

Bourdain compartilhou postagens nas redes sociais enquanto fazia uma turnê no Azerbaijão, onde supostamente estava gravando um episódio para seu programa da CNN Partes Desconhecidas. Uma foto no Instagram mostra um helicóptero militar com a legenda “Cameraman Jerry Risius pondera sobre nosso meio de transporte escolhido (russo MI-8 MTV-1)” e um tweet dirigido ao músico e ativista político Serj Tankian diz: “Obrigado @serjtankian por finalmente me levando para a Armênia e tornando-o incrível. ”

O Daily Meal entrou em contato com a CNN para comentar, embora Bourdain já tenha reconhecido as especulações no Twitter. Em 24 de outubro, ele "retuitou" um artigo de Armen Press cuja frase inicial diz: “O Azerbaijão irá oficialmente colocar na lista negra o chef americano e apresentador de programa de TV Anthony Bourdain.”

Justo.

Para saber mais sobre mais leis e regulamentos em todo o mundo, aqui estão 18 regras estranhas que os viajantes devem saber.


Categoria: Sem categoria

Nihad Gulamzada é um fotógrafo que gostamos muito de No-Yolo. Ele é nativo de Baku e trabalha com fotografia desde 2012. Ele é aluno da Bakı Jurnalistika Məktəbi (Escola de Jornalismo de Bau), onde está se formando em multimídia. Em 2014, ganhou o primeiro prêmio no Take a true, concurso de fotografia promovido pela organização Art for Democracy. Ele também é ator e estudou violino por alguns anos, mas não era bom nisso. Ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas que tínhamos para ele sobre seu trabalho, Baku e suas ferrovias:

Desde a independência do Azerbaijão, Baku foi inundado com dinheiro das receitas do petróleo geradas pelo SOCAR. Houve um enorme investimento em infraestrutura e construção que transformou a cidade de uma típica cidade pós-soviética no Dubai do Cáucaso. Como você se sente sobre essa transformação?

Este é um tópico muito controverso. É bom se o Azerbaijão, especialmente Baku, for comparado a Dubai. No entanto, a questão é: “As pessoas estão felizes neste belo‘ Dubai ’?” Não, acho que não. O dinheiro que sai do petróleo é do povo. Deve ser gasto apenas para as pessoas, mas infelizmente não é assim. A pobreza está crescendo dia a dia. É normal que edifícios gloriosos estejam sendo construídos e alguns de nós os admire de longe, mas as pessoas podem entrar nesses palácios? Não, eles não podem. A razão pela qual Baku está linda é porque sua nova fachada é voltada para pessoas glamorosas. Então, Baku parece feliz, mas a população não.

Notei pela primeira vez a sua fotografia porque pensei que fazia Baku parecer quase encantadoramente escuro. Eles entraram em conflito com as tentativas do estado azeri de anunciar a cidade como o bastião da alta costura e da gastronomia requintada. Apesar do incrível crescimento econômico da cidade, a identidade de Baku como uma cidade não foi solidificada na imaginação do público na Europa Ocidental / América do Norte, ao contrário de cidades como Moscou e Kiev. O que torna Baku uma cidade única? O que é aquele coquetel distinto de falhas e beleza que faz de Baku o que é?

Minhas fotos indicam o rosto real de Baku, mas nem sempre é bonito. O que posso fazer se vir a feiura de Baku todos os dias? Devo atirar no que vejo. Baku foi uma bela cidade no passado. Para mim, Baku agora parece cansado e miserável. Teve sinceridade no período soviético. Era pobre, mas era gentil e tinha uma boa paisagem. Hoje, Baku parece apenas uma garota com muita maquiagem.

O governo oferece a comida nacional do Azerbaijão em todo o mundo, mas um azerbaijano normal só pode comer essas refeições durante as férias. O Azerbaijão era conhecido por sua rica cultura, mas hoje está em declínio. As artes não são apoiadas e os artistas não recebem ajuda do governo. Existem apenas dois teatros independentes no Azerbaijão e não podem pagar o aluguel. Até organizações governamentais tentam ignorá-los. Olha, é por isso que o Baku de hoje não é o Baku antigo. Uma cidade que ignora as artes só pode enfrentar um colapso. Os jovens se esforçam para evitar isso, mas não são apoiados.

Foi interessante que você tenha definido esta série de fotos na estação ferroviária porque ela oferece um contraste muito simbólico com a nova imagem de Baku. O sistema ferroviário foi uma infraestrutura implementada pela União Soviética, enquanto outros meios de transporte, como o reformado Aeroporto Internacional Heydar Aliyev, são utilizados para apresentar a nova imagem de Baku. Que aspecto da estação de trem o atraiu?

O Aeroporto Internacional Heydar Aliyev é realmente lindo. Era para ser bonito porque foi nomeado em memória do pai do nosso atual presidente, que também foi o presidente antes de morrer. Isso não é verdade para nossas ferrovias. Essa infraestrutura é uma sobra dos tempos soviéticos. Acredito que será consertado logo após receber o nome em homenagem a Heydar Aliyev. Será o número um do mundo!

Eu moro perto da estação que todos conhecem como Estação Velha. Costumava caminhar ao longo de sua longa plataforma. Era uma zona calma e sossegada. Os trens lá transportavam principalmente os passageiros pobres. Queria tirar muitas fotos lá, mas depois de três ou quatro horas só consegui tirar sete porque é proibido tirar fotos na estação. A polícia estava me impedindo, como você sabe. Eu estava curioso para tirar fotos das pessoas enquanto elas cruzavam muito rápido na minha frente, sem parar. Era uma bela paisagem. Foi pacífico para mim. O trem parou e as pessoas começaram a cruzar. Só consegui tirar essas fotos da série. Quem sabe quantos milhões de pessoas passaram por lá desde a União Soviética? Quantas pessoas aqueles trens viram?

Por último, você certamente sabe de nossa comunicação No-Yolo acredita firmemente que se você quiser entender alguma coisa sobre uma cidade, então você deve se embebedar lá. Onde você sugere que as pessoas se embebedem em Baku?

Baku tem muitos pubs e cafés, mas eu aconselharia caras que gostariam de beber em um lugar civilizado e tranquilo a ir ao TRASH Art Cafe. Este café está localizado dentro de um teatro. As pessoas iriam se divertir muito lá. Na verdade, este café é especificamente para pessoas que valorizam a educação e querem se divertir de uma forma divertida. Se você quiser apenas ficar bêbado, pode ir aos pubs perto da estação de trem de Baku!


Categoria: Sem categoria

Nihad Gulamzada é um fotógrafo que gostamos muito de No-Yolo. Ele é nativo de Baku e trabalha com fotografia desde 2012. Ele é aluno da Bakı Jurnalistika Məktəbi (Escola de Jornalismo de Bau), onde está se formando em multimídia. Em 2014, ganhou o primeiro prêmio no Take a true, concurso de fotografia promovido pela organização Art for Democracy. Ele também é ator e estudou violino por alguns anos, mas não era bom nisso. Ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas que tínhamos para ele sobre seu trabalho, Baku e suas ferrovias:

Desde a independência do Azerbaijão, Baku foi inundado com dinheiro das receitas do petróleo geradas pelo SOCAR. Houve um enorme investimento em infraestrutura e construção que transformou a cidade de uma típica cidade pós-soviética no Dubai do Cáucaso. Como você se sente sobre essa transformação?

Este é um tópico muito controverso. É bom se o Azerbaijão, especialmente Baku, for comparado a Dubai. No entanto, a questão é: “As pessoas estão felizes neste belo‘ Dubai ’?” Não, acho que não. O dinheiro que sai do petróleo é do povo. Deve ser gasto apenas para as pessoas, mas infelizmente não é assim. A pobreza está crescendo dia a dia. É normal que edifícios gloriosos estejam sendo construídos e alguns de nós os admire de longe, mas as pessoas podem entrar nesses palácios? Não, eles não podem. A razão pela qual Baku está linda é porque sua nova fachada é voltada para pessoas glamorosas. Então, Baku parece feliz, mas a população não.

Notei pela primeira vez a sua fotografia porque pensei que fazia Baku parecer quase encantadoramente escuro. Eles entraram em conflito com as tentativas do estado azeri de anunciar a cidade como o bastião da alta costura e da gastronomia requintada. Apesar do incrível crescimento econômico da cidade, a identidade de Baku como uma cidade não foi solidificada na imaginação do público na Europa Ocidental / América do Norte, ao contrário de cidades como Moscou e Kiev. O que torna Baku uma cidade única? O que é aquele coquetel distinto de falhas e beleza que faz de Baku o que é?

Minhas fotos indicam o rosto real de Baku, mas nem sempre é bonito. O que posso fazer se vir a feiura de Baku todos os dias? Devo atirar no que vejo. Baku foi uma bela cidade no passado. Para mim, Baku agora parece cansado e miserável. Teve sinceridade no período soviético. Era pobre, mas era gentil e tinha uma boa paisagem. Hoje, Baku parece apenas uma garota com muita maquiagem.

O governo oferece a comida nacional do Azerbaijão em todo o mundo, mas um azerbaijano normal só pode comer essas refeições durante as férias. O Azerbaijão era conhecido por sua rica cultura, mas hoje está em declínio. As artes não são apoiadas e os artistas não recebem ajuda do governo. Existem apenas dois teatros independentes no Azerbaijão e não podem pagar o aluguel. Até organizações governamentais tentam ignorá-los. Olha, é por isso que o Baku de hoje não é o Baku antigo. Uma cidade que ignora as artes só pode enfrentar um colapso. Os jovens se esforçam para evitá-lo, mas não são apoiados.

Foi interessante que você tenha definido esta série de fotos na estação ferroviária porque ela oferece um contraste muito simbólico com a nova imagem de Baku. O sistema ferroviário foi uma infraestrutura implementada pela União Soviética, enquanto outros meios de transporte, como o reformado Aeroporto Internacional Heydar Aliyev, são utilizados para apresentar a nova imagem de Baku. Que aspecto da estação de trem o atraiu?

O Aeroporto Internacional Heydar Aliyev é realmente lindo. Era para ser bonito porque foi nomeado em memória do pai do nosso atual presidente, que também foi o presidente antes de morrer. Isso não é verdade para nossas ferrovias. Essa infraestrutura é uma sobra dos tempos soviéticos. Acredito que será consertado logo após receber o nome em homenagem a Heydar Aliyev. Será o número um do mundo!

Eu moro perto da estação que todos conhecem como Estação Velha. Costumava caminhar ao longo de sua longa plataforma. Era uma zona calma e sossegada. Os trens lá transportavam principalmente os passageiros pobres. Queria tirar muitas fotos lá, mas depois de três ou quatro horas só consegui tirar sete porque é proibido tirar fotos na estação. A polícia estava me impedindo, como você sabe. Eu estava curioso para tirar fotos das pessoas enquanto elas cruzavam muito rápido na minha frente, sem parar. Era uma bela paisagem. Foi pacífico para mim. O trem parou e as pessoas começaram a cruzar. Só consegui tirar essas fotos da série. Quem sabe quantos milhões de pessoas passaram por lá desde a União Soviética? Quantas pessoas aqueles trens viram?

Por último, você certamente sabe de nossa comunicação No-Yolo acredita firmemente que se você quiser entender alguma coisa sobre uma cidade, então você deve se embebedar lá. Onde você sugere que as pessoas se embebedem em Baku?

Baku tem muitos pubs e cafés, mas eu aconselharia caras que gostariam de beber em um lugar civilizado e tranquilo a ir ao TRASH Art Cafe. Este café está localizado dentro de um teatro. As pessoas iriam se divertir muito lá. Na verdade, este café é especificamente para pessoas que valorizam a educação e querem se divertir de uma forma divertida. Se você quiser apenas ficar bêbado, pode ir aos pubs perto da estação de trem de Baku!


Categoria: Sem categoria

Nihad Gulamzada é um fotógrafo que gostamos muito de No-Yolo. Ele é nativo de Baku e trabalha com fotografia desde 2012. Ele é aluno da Bakı Jurnalistika Məktəbi (Escola de Jornalismo de Bau), onde está se formando em multimídia. Em 2014, ganhou o primeiro prêmio no Take a true, concurso de fotografia promovido pela organização Art for Democracy. Ele também é ator e estudou violino por alguns anos, mas não era bom nisso. Ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas que tínhamos para ele sobre seu trabalho, Baku e suas ferrovias:

Desde a independência do Azerbaijão, Baku foi inundado com dinheiro das receitas do petróleo geradas pelo SOCAR. Houve um enorme investimento em infraestrutura e construção que transformou a cidade de uma típica cidade pós-soviética no Dubai do Cáucaso. Como você se sente sobre essa transformação?

Este é um tópico muito controverso. É bom se o Azerbaijão, especialmente Baku, for comparado a Dubai. No entanto, a questão é: “As pessoas estão felizes neste belo‘ Dubai ’?” Não, acho que não. O dinheiro que sai do petróleo é do povo. Deve ser gasto apenas para as pessoas, mas infelizmente não é assim. A pobreza está crescendo dia a dia. É normal que edifícios gloriosos estejam sendo construídos e alguns de nós os admire de longe, mas as pessoas podem entrar nesses palácios? Não, eles não podem. A razão pela qual Baku está linda é porque sua nova fachada é voltada para pessoas glamorosas. Então, Baku parece feliz, mas a população não.

Notei pela primeira vez a sua fotografia porque pensei que fazia Baku parecer quase encantadoramente escuro. Eles entraram em conflito com as tentativas do estado azeri de anunciar a cidade como o bastião da alta costura e da gastronomia requintada. Apesar do incrível crescimento econômico da cidade, a identidade de Baku como uma cidade não foi solidificada na imaginação do público na Europa Ocidental / América do Norte, ao contrário de cidades como Moscou e Kiev. O que torna Baku uma cidade única? O que é aquele coquetel distinto de falhas e beleza que faz de Baku o que é?

Minhas fotos indicam o rosto real de Baku, mas nem sempre é bonito. O que posso fazer se vir a feiura de Baku todos os dias? Devo atirar no que vejo. Baku foi uma bela cidade no passado. Para mim, Baku agora parece cansado e miserável. Teve sinceridade no período soviético. Era pobre, mas era gentil e tinha uma boa paisagem. Hoje, Baku parece apenas uma garota com muita maquiagem.

O governo oferece a comida nacional do Azerbaijão em todo o mundo, mas um azerbaijano normal só pode comer essas refeições durante as férias. O Azerbaijão era conhecido por sua rica cultura, mas hoje está em declínio. As artes não são apoiadas e os artistas não recebem ajuda do governo. Existem apenas dois teatros independentes no Azerbaijão e não podem pagar o aluguel. Até organizações governamentais tentam ignorá-los. Olha, é por isso que o Baku de hoje não é o Baku antigo. Uma cidade que ignora as artes só pode enfrentar um colapso. Os jovens se esforçam para evitar isso, mas não são apoiados.

Foi interessante que você tenha definido esta série de fotos na estação ferroviária porque ela oferece um contraste muito simbólico com a nova imagem de Baku. O sistema ferroviário foi uma infraestrutura implementada pela União Soviética, enquanto outros meios de transporte, como o reformado Aeroporto Internacional Heydar Aliyev, são utilizados para apresentar a nova imagem de Baku. Que aspecto da estação de trem o atraiu?

O Aeroporto Internacional Heydar Aliyev é realmente lindo. Era para ser bonito porque foi nomeado em memória do pai do nosso atual presidente, que também foi o presidente antes de morrer. Isso não é verdade para nossas ferrovias. Essa infraestrutura é uma sobra dos tempos soviéticos. Acredito que será consertado logo após receber o nome em homenagem a Heydar Aliyev. Será o número um do mundo!

Eu moro perto da estação que todos conhecem como Estação Velha. Costumava caminhar ao longo de sua longa plataforma. Era uma zona calma e sossegada. Os trens lá transportavam principalmente os passageiros pobres. Queria tirar muitas fotos lá, mas depois de três ou quatro horas só consegui tirar sete porque é proibido tirar fotos na estação. A polícia estava me impedindo, como você sabe. Eu estava curioso para tirar fotos das pessoas enquanto elas cruzavam muito rápido na minha frente, sem parar. Era uma bela paisagem. Foi pacífico para mim. O trem parou e as pessoas começaram a cruzar. Só consegui tirar essas fotos da série. Quem sabe quantos milhões de pessoas passaram por lá desde a União Soviética? Quantas pessoas aqueles trens viram?

Por último, você certamente sabe de nossa comunicação No-Yolo acredita firmemente que se você quiser entender alguma coisa sobre uma cidade, então você deve se embebedar lá. Onde você sugere que as pessoas se embebedem em Baku?

Baku tem muitos pubs e cafés, mas eu aconselharia caras que gostariam de beber em um lugar civilizado e tranquilo a ir ao TRASH Art Cafe. Este café está localizado dentro de um teatro. As pessoas iriam se divertir muito lá. Na verdade, este café é especificamente para pessoas que valorizam a educação e querem se divertir de uma forma divertida. Se você quiser apenas ficar bêbado, pode ir aos pubs perto da estação de trem de Baku!


Categoria: Sem categoria

Nihad Gulamzada é um fotógrafo que gostamos muito de No-Yolo. Ele é nativo de Baku e trabalha com fotografia desde 2012. Ele é aluno da Bakı Jurnalistika Məktəbi (Escola de Jornalismo de Bau), onde está se formando em multimídia. Em 2014, ganhou o primeiro prêmio no Take a true, concurso de fotografia promovido pela organização Art for Democracy. Ele também é ator e estudou violino por alguns anos, mas não era bom nisso. Ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas que tínhamos para ele sobre seu trabalho, Baku e suas ferrovias:

Desde a independência do Azerbaijão, Baku foi inundado com dinheiro das receitas do petróleo geradas pelo SOCAR. Houve um enorme investimento em infraestrutura e construção que transformou a cidade de uma típica cidade pós-soviética no Dubai do Cáucaso. Como você se sente sobre essa transformação?

Este é um tópico muito controverso. É bom se o Azerbaijão, especialmente Baku, for comparado a Dubai. No entanto, a questão é: “As pessoas estão felizes neste belo‘ Dubai ’?” Não, acho que não. O dinheiro que sai do petróleo é do povo. Deve ser gasto apenas para as pessoas, mas infelizmente não é assim. A pobreza está crescendo dia a dia. É normal que edifícios gloriosos estejam sendo construídos e alguns de nós os admire de longe, mas as pessoas podem entrar nesses palácios? Não, eles não podem. A razão pela qual Baku está linda é porque sua nova fachada é voltada para pessoas glamorosas. Então, Baku parece feliz, mas a população não.

Notei pela primeira vez a sua fotografia porque pensei que fazia Baku parecer quase encantadoramente escuro. Eles entraram em conflito com as tentativas do estado azeri de anunciar a cidade como o bastião da alta costura e da gastronomia requintada. Apesar do incrível crescimento econômico da cidade, a identidade de Baku como uma cidade não foi solidificada na imaginação do público na Europa Ocidental / América do Norte, ao contrário de cidades como Moscou e Kiev. O que torna Baku uma cidade única? O que é aquele coquetel distinto de falhas e beleza que faz de Baku o que é?

Minhas fotos indicam o rosto real de Baku, mas nem sempre é bonito. O que posso fazer se vir a feiura de Baku todos os dias? Devo atirar no que vejo. Baku foi uma bela cidade no passado. Para mim, Baku agora parece cansado e miserável. Teve sinceridade no período soviético. Era pobre, mas era gentil e tinha uma boa paisagem. Hoje, Baku parece apenas uma garota com muita maquiagem.

O governo oferece a comida nacional do Azerbaijão em todo o mundo, mas um azerbaijano normal só pode comer essas refeições durante as férias. O Azerbaijão era conhecido por sua rica cultura, mas hoje está em declínio. As artes não são apoiadas e os artistas não recebem ajuda do governo. Existem apenas dois teatros independentes no Azerbaijão e não podem pagar o aluguel. Até organizações governamentais tentam ignorá-los. Olha, é por isso que o Baku de hoje não é o Baku antigo. Uma cidade que ignora as artes só pode enfrentar um colapso. Os jovens se esforçam para evitá-lo, mas não são apoiados.

Foi interessante que você tenha definido esta série de fotos na estação ferroviária porque ela oferece um contraste muito simbólico com a nova imagem de Baku. O sistema ferroviário foi uma infraestrutura implementada pela União Soviética, enquanto outros meios de transporte, como o reformado Aeroporto Internacional Heydar Aliyev, são utilizados para apresentar a nova imagem de Baku. Que aspecto da estação de trem o atraiu?

O Aeroporto Internacional Heydar Aliyev é realmente lindo. Era para ser bonito porque foi nomeado em memória do pai do nosso atual presidente, que também foi o presidente antes de morrer. Isso não é verdade para nossas ferrovias. Essa infraestrutura é uma sobra dos tempos soviéticos. Acredito que será consertado logo após receber o nome em homenagem a Heydar Aliyev. Será o número um do mundo!

Eu moro perto da estação que todos conhecem como Estação Velha. Costumava caminhar ao longo de sua longa plataforma. Era uma zona calma e sossegada. Os trens lá transportavam principalmente os passageiros pobres. Queria tirar muitas fotos lá, mas depois de três ou quatro horas só consegui tirar sete porque é proibido tirar fotos na estação. A polícia estava me impedindo, como você sabe. Eu estava curioso para tirar fotos das pessoas enquanto elas cruzavam muito rápido na minha frente, sem parar. Era uma bela paisagem. Foi pacífico para mim. O trem parou e as pessoas começaram a cruzar. Só consegui tirar essas fotos da série. Quem sabe quantos milhões de pessoas passaram por lá desde a União Soviética? Quantas pessoas aqueles trens viram?

Por último, você certamente sabe de nossa comunicação No-Yolo acredita firmemente que se você quiser entender alguma coisa sobre uma cidade, então você deve se embebedar lá. Onde você sugere que as pessoas se embebedem em Baku?

Baku tem muitos pubs e cafés, mas eu aconselharia caras que gostariam de beber em um lugar civilizado e tranquilo a ir ao TRASH Art Cafe. Este café está localizado dentro de um teatro. As pessoas iriam se divertir muito lá. Na verdade, este café é especificamente para pessoas que valorizam a educação e querem se divertir de uma forma divertida. Se você quiser apenas ficar bêbado, pode ir aos pubs perto da estação de trem de Baku!


Categoria: Sem categoria

Nihad Gulamzada é um fotógrafo que gostamos muito de No-Yolo. Ele é nativo de Baku e trabalha com fotografia desde 2012. Ele é aluno da Bakı Jurnalistika Məktəbi (Escola de Jornalismo de Bau), onde está se formando em multimídia. Em 2014, ganhou o primeiro prêmio no Take a true, concurso de fotografia promovido pela organização Art for Democracy. Ele também é ator e estudou violino por alguns anos, mas não era bom nisso. Ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas que tínhamos para ele sobre seu trabalho, Baku e suas ferrovias:

Desde a independência do Azerbaijão, Baku foi inundado com dinheiro das receitas do petróleo geradas pelo SOCAR. Houve um enorme investimento em infraestrutura e construção que transformou a cidade de uma típica cidade pós-soviética no Dubai do Cáucaso. Como você se sente sobre essa transformação?

Este é um tópico muito controverso. É bom se o Azerbaijão, especialmente Baku, for comparado a Dubai. No entanto, a questão é: “As pessoas estão felizes neste belo‘ Dubai ’?” Não, acho que não. O dinheiro que sai do petróleo é do povo. Deve ser gasto apenas para as pessoas, mas infelizmente não é assim. A pobreza está crescendo dia a dia. É normal que edifícios gloriosos estejam sendo construídos e alguns de nós os admire de longe, mas as pessoas podem entrar nesses palácios? Não, eles não podem. A razão pela qual Baku está linda é porque sua nova fachada é voltada para pessoas glamorosas. Então, Baku parece feliz, mas a população não.

Notei pela primeira vez a sua fotografia porque pensei que fazia Baku parecer quase encantadoramente escuro. Eles entraram em conflito com as tentativas do estado azeri de anunciar a cidade como o bastião da alta costura e da gastronomia requintada. Apesar do incrível crescimento econômico da cidade, a identidade de Baku como uma cidade não foi solidificada na imaginação do público na Europa Ocidental / América do Norte, ao contrário de cidades como Moscou e Kiev. O que torna Baku uma cidade única? O que é aquele coquetel distinto de falhas e beleza que faz de Baku o que é?

Minhas fotos indicam o rosto real de Baku, mas nem sempre é bonito. O que posso fazer se vir a feiura de Baku todos os dias? Devo atirar no que vejo. Baku foi uma bela cidade no passado. Para mim, Baku agora parece cansado e miserável. Teve sinceridade no período soviético. Era pobre, mas era gentil e tinha uma boa paisagem. Hoje, Baku parece apenas uma garota com muita maquiagem.

O governo oferece a comida nacional do Azerbaijão em todo o mundo, mas um azerbaijano normal só pode comer essas refeições durante as férias. O Azerbaijão era conhecido por sua rica cultura, mas hoje está em declínio. As artes não são apoiadas e os artistas não recebem ajuda do governo. Existem apenas dois teatros independentes no Azerbaijão e não podem pagar o aluguel. Até organizações governamentais tentam ignorá-los. Olha, é por isso que o Baku de hoje não é o Baku antigo. Uma cidade que ignora as artes só pode enfrentar um colapso. Os jovens se esforçam para evitar isso, mas não são apoiados.

Foi interessante que você tenha definido esta série de fotos na estação ferroviária porque ela oferece um contraste muito simbólico com a nova imagem de Baku. O sistema ferroviário foi uma infraestrutura implementada pela União Soviética, enquanto outros meios de transporte, como o reformado Aeroporto Internacional Heydar Aliyev, são utilizados para apresentar a nova imagem de Baku. Que aspecto da estação de trem o atraiu?

O Aeroporto Internacional Heydar Aliyev é realmente lindo. Era para ser bonito porque foi nomeado em memória do pai do nosso atual presidente, que também foi o presidente antes de morrer. Isso não é verdade para nossas ferrovias. Essa infraestrutura é uma sobra dos tempos soviéticos. Acredito que será consertado logo após receber o nome em homenagem a Heydar Aliyev. Será o número um do mundo!

Eu moro perto da estação que todos conhecem como Estação Velha. Costumava caminhar ao longo de sua longa plataforma. Era uma zona calma e sossegada. Os trens lá transportavam principalmente os passageiros pobres. Queria tirar muitas fotos lá, mas depois de três ou quatro horas só consegui tirar sete porque é proibido tirar fotos na estação. A polícia estava me impedindo, como você sabe. Eu estava curioso para tirar fotos das pessoas enquanto elas cruzavam muito rápido na minha frente, sem parar. Era uma bela paisagem. Foi pacífico para mim. O trem parou e as pessoas começaram a cruzar. Só consegui tirar essas fotos da série. Quem sabe quantos milhões de pessoas passaram por lá desde a União Soviética? Quantas pessoas aqueles trens viram?

Por último, você certamente sabe de nossa comunicação No-Yolo acredita firmemente que se você quiser entender alguma coisa sobre uma cidade, então você deve se embebedar lá. Onde você sugere que as pessoas se embebedem em Baku?

Baku tem muitos pubs e cafés, mas eu aconselharia caras que gostariam de beber em um lugar civilizado e tranquilo a ir ao TRASH Art Cafe. Este café está localizado dentro de um teatro. As pessoas iriam se divertir muito lá. Na verdade, este café é especificamente para pessoas que valorizam a educação e querem se divertir de uma forma divertida. Se você quiser apenas ficar bêbado, pode ir aos pubs perto da estação de trem de Baku!


Categoria: Sem categoria

Nihad Gulamzada é um fotógrafo que gostamos muito de No-Yolo. Ele é nativo de Baku e trabalha com fotografia desde 2012. Ele é aluno da Bakı Jurnalistika Məktəbi (Escola de Jornalismo de Bau), onde está se formando em multimídia. Em 2014, ganhou o primeiro prêmio no Take a true, concurso de fotografia promovido pela organização Art for Democracy. Ele também é ator e estudou violino por alguns anos, mas não era bom nisso. Ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas que tínhamos para ele sobre seu trabalho, Baku e suas ferrovias:

Desde a independência do Azerbaijão, Baku foi inundado com dinheiro das receitas do petróleo geradas pelo SOCAR. Houve um enorme investimento em infraestrutura e construção que transformou a cidade de uma típica cidade pós-soviética no Dubai do Cáucaso. Como você se sente sobre essa transformação?

Este é um tópico muito controverso. É bom se o Azerbaijão, especialmente Baku, for comparado a Dubai. No entanto, a questão é: “As pessoas estão felizes neste belo‘ Dubai ’?” Não, acho que não. O dinheiro que sai do petróleo é do povo. Deve ser gasto apenas para as pessoas, mas infelizmente não é assim. A pobreza está crescendo dia a dia. É normal que edifícios gloriosos estejam sendo construídos e alguns de nós os admire de longe, mas as pessoas podem entrar nesses palácios? Não, eles não podem. A razão pela qual Baku está linda é porque sua nova fachada é voltada para pessoas glamorosas. Então, Baku parece feliz, mas a população não.

Notei sua fotografia pela primeira vez porque pensei que elas faziam Baku parecer quase encantadoramente escuro. Eles entraram em conflito com as tentativas do estado azeri de anunciar a cidade como o bastião da alta costura e da gastronomia requintada. Despite the amazing economic growth of the city, the identity of Baku as a city has not been solidified in the public imagination in Western Europe/North America, unlike cities such as Moscow and Kiev. What makes Baku unique as a city? What is that distinctive cocktail of flaws and beauty that makes Baku what it is?

My photos indicate Baku’s real face but it isn’t always beautiful. What can I do if I see the ugliness of Baku every day? I must shoot what I see. Baku was a beautiful city in the past. For me, Baku now looks tired and miserable. It had sincerity in the Soviet period. It was poor but it was kind and had a good landscape. Today, Baku just looks like a girl with too much make up.

The government presents Azerbaijan’s national food all around the world but a normal Azerbaijani can only eat those meals during holidays. Azerbaijan was known for its rich culture but today it is declining. The arts are not supported and artists get no help from the government. The are only two independent theatres in Azerbaijan and they cannot pay their rent. Even governmental organizations try to ignore them. Look, that’s why today’s Baku is not old Baku. A city ignoring arts can only face a collapse. The young try hard to prevent it but they’re not supported.

It was interesting that you set this photo series at the railroad station because it offers a very symbolic contrast with the new image of Baku. The railroad system was infrastructure implemented by the Soviet Union whereas other modes of transportation, like the refurbished Heydar Aliyev International Airport, are utilized to present the new image of Baku. What aspect of the train station appealed to you?

Heydar Aliyev International Airport is really beautiful. It was supposed to be beautiful because it was named in memory of our current president’s father who also was the president before he died. That’s not true of our railroads. That infrastructure is a leftover from the Soviet times. I believe that it will be repaired right after it is named in honor of Heydar Aliyev. It will be number one in the world!

I live near to the station everyone knows as Old Station. I used to walk along its long platform. It was a calm and quiet area. Trains there carried mostly the poor passengers. I wanted to take many photos there but after three or four hours I could only manage to take seven pictures because it is forbidden to take photos while in the station. The police were preventing me, as you know. I was curious to take people’s photos while they were crossing very fast in front of me without stopping. It was a good landscape. It was peaceful for me. The train stopped and people were crossing. I could only take those photos in the series. Who knows how many millions of people had crossed there since the Soviet Union? How many people those trains had seen?

Lastly, you surely know from our communication No-Yolo firmly believes if you want to understand anything about a city then you must get drunk there. Where would you suggestion people get drunk in Baku?

Baku has got a lot of pubs and cafes, but I’d advise guys who would like to drink in a civil and quiet place to go to TRASH Art Cafe. This cafe is located inside a theatre. People would enjoy themselves quite a lot there. Actually, this cafe is specifically for people who value politeness and want to have fun in an enjoyable way. If you would like to just get drunk, you could go to the pubs near the Baku Train Station!


Category: Uncategorized

Nihad Gulamzada is a photographer that we’ve been fond of for a long time at No-Yolo. He’s a Baku native that has been working in photography since 2012. He is a student at Bakı Jurnalistika Məktəbi (Bau School of Journalism) where he is majoring in multimedia. In 2014, he won first prize in Take a true, a photography competition hosted by the organization Art for Democracy. He is also an actor and studied violin for a couple of years but was no good at it. He kindly agreed to answer some questions that we had for him about his work, Baku and its railways:

Since the independence of Azerbaijan, Baku has been awash with money from the oil revenue generated by SOCAR. There has been a tremendous amount of investment spent on infrastructure and construction that has transformed the city from a typical post-Soviet city into the Dubai of the Caucasus. How do you feel about this transformation?

This is too controversial of a topic. It is good if Azerbaijan, especially Baku, is compared to Dubai. However, the question is, “Are people happy in this beautiful ‘Dubai’?” Nope, I don’t think so. The money that is coming from the oil belongs to the people. It should be spent only for people but unfortunately it is not like that. Poverty is growing day by day. It is okay that glorious buildings are being built and some of us admire them from afar but can people enter those palaces? No they can’t. The reason why Baku looks beautiful is because it’s new facade is geared towards glamorous people. So, Baku looks happy but the population isn’t.

I first took notice of your photography because I thought they made Baku appear almost charmingly dark. They conflicted with the attempts by the Azeri state to advertise the city as this bastion of high fashion and fine dining. Despite the amazing economic growth of the city, the identity of Baku as a city has not been solidified in the public imagination in Western Europe/North America, unlike cities such as Moscow and Kiev. What makes Baku unique as a city? What is that distinctive cocktail of flaws and beauty that makes Baku what it is?

My photos indicate Baku’s real face but it isn’t always beautiful. What can I do if I see the ugliness of Baku every day? I must shoot what I see. Baku was a beautiful city in the past. For me, Baku now looks tired and miserable. It had sincerity in the Soviet period. It was poor but it was kind and had a good landscape. Today, Baku just looks like a girl with too much make up.

The government presents Azerbaijan’s national food all around the world but a normal Azerbaijani can only eat those meals during holidays. Azerbaijan was known for its rich culture but today it is declining. The arts are not supported and artists get no help from the government. The are only two independent theatres in Azerbaijan and they cannot pay their rent. Even governmental organizations try to ignore them. Look, that’s why today’s Baku is not old Baku. A city ignoring arts can only face a collapse. The young try hard to prevent it but they’re not supported.

It was interesting that you set this photo series at the railroad station because it offers a very symbolic contrast with the new image of Baku. The railroad system was infrastructure implemented by the Soviet Union whereas other modes of transportation, like the refurbished Heydar Aliyev International Airport, are utilized to present the new image of Baku. What aspect of the train station appealed to you?

Heydar Aliyev International Airport is really beautiful. It was supposed to be beautiful because it was named in memory of our current president’s father who also was the president before he died. That’s not true of our railroads. That infrastructure is a leftover from the Soviet times. I believe that it will be repaired right after it is named in honor of Heydar Aliyev. It will be number one in the world!

I live near to the station everyone knows as Old Station. I used to walk along its long platform. It was a calm and quiet area. Trains there carried mostly the poor passengers. I wanted to take many photos there but after three or four hours I could only manage to take seven pictures because it is forbidden to take photos while in the station. The police were preventing me, as you know. I was curious to take people’s photos while they were crossing very fast in front of me without stopping. It was a good landscape. It was peaceful for me. The train stopped and people were crossing. I could only take those photos in the series. Who knows how many millions of people had crossed there since the Soviet Union? How many people those trains had seen?

Lastly, you surely know from our communication No-Yolo firmly believes if you want to understand anything about a city then you must get drunk there. Where would you suggestion people get drunk in Baku?

Baku has got a lot of pubs and cafes, but I’d advise guys who would like to drink in a civil and quiet place to go to TRASH Art Cafe. This cafe is located inside a theatre. People would enjoy themselves quite a lot there. Actually, this cafe is specifically for people who value politeness and want to have fun in an enjoyable way. If you would like to just get drunk, you could go to the pubs near the Baku Train Station!


Category: Uncategorized

Nihad Gulamzada is a photographer that we’ve been fond of for a long time at No-Yolo. He’s a Baku native that has been working in photography since 2012. He is a student at Bakı Jurnalistika Məktəbi (Bau School of Journalism) where he is majoring in multimedia. In 2014, he won first prize in Take a true, a photography competition hosted by the organization Art for Democracy. He is also an actor and studied violin for a couple of years but was no good at it. He kindly agreed to answer some questions that we had for him about his work, Baku and its railways:

Since the independence of Azerbaijan, Baku has been awash with money from the oil revenue generated by SOCAR. There has been a tremendous amount of investment spent on infrastructure and construction that has transformed the city from a typical post-Soviet city into the Dubai of the Caucasus. How do you feel about this transformation?

This is too controversial of a topic. It is good if Azerbaijan, especially Baku, is compared to Dubai. However, the question is, “Are people happy in this beautiful ‘Dubai’?” Nope, I don’t think so. The money that is coming from the oil belongs to the people. It should be spent only for people but unfortunately it is not like that. Poverty is growing day by day. It is okay that glorious buildings are being built and some of us admire them from afar but can people enter those palaces? No they can’t. The reason why Baku looks beautiful is because it’s new facade is geared towards glamorous people. So, Baku looks happy but the population isn’t.

I first took notice of your photography because I thought they made Baku appear almost charmingly dark. They conflicted with the attempts by the Azeri state to advertise the city as this bastion of high fashion and fine dining. Despite the amazing economic growth of the city, the identity of Baku as a city has not been solidified in the public imagination in Western Europe/North America, unlike cities such as Moscow and Kiev. What makes Baku unique as a city? What is that distinctive cocktail of flaws and beauty that makes Baku what it is?

My photos indicate Baku’s real face but it isn’t always beautiful. What can I do if I see the ugliness of Baku every day? I must shoot what I see. Baku was a beautiful city in the past. For me, Baku now looks tired and miserable. It had sincerity in the Soviet period. It was poor but it was kind and had a good landscape. Today, Baku just looks like a girl with too much make up.

The government presents Azerbaijan’s national food all around the world but a normal Azerbaijani can only eat those meals during holidays. Azerbaijan was known for its rich culture but today it is declining. The arts are not supported and artists get no help from the government. The are only two independent theatres in Azerbaijan and they cannot pay their rent. Even governmental organizations try to ignore them. Look, that’s why today’s Baku is not old Baku. A city ignoring arts can only face a collapse. The young try hard to prevent it but they’re not supported.

It was interesting that you set this photo series at the railroad station because it offers a very symbolic contrast with the new image of Baku. The railroad system was infrastructure implemented by the Soviet Union whereas other modes of transportation, like the refurbished Heydar Aliyev International Airport, are utilized to present the new image of Baku. What aspect of the train station appealed to you?

Heydar Aliyev International Airport is really beautiful. It was supposed to be beautiful because it was named in memory of our current president’s father who also was the president before he died. That’s not true of our railroads. That infrastructure is a leftover from the Soviet times. I believe that it will be repaired right after it is named in honor of Heydar Aliyev. It will be number one in the world!

I live near to the station everyone knows as Old Station. I used to walk along its long platform. It was a calm and quiet area. Trains there carried mostly the poor passengers. I wanted to take many photos there but after three or four hours I could only manage to take seven pictures because it is forbidden to take photos while in the station. The police were preventing me, as you know. I was curious to take people’s photos while they were crossing very fast in front of me without stopping. It was a good landscape. It was peaceful for me. The train stopped and people were crossing. I could only take those photos in the series. Who knows how many millions of people had crossed there since the Soviet Union? How many people those trains had seen?

Lastly, you surely know from our communication No-Yolo firmly believes if you want to understand anything about a city then you must get drunk there. Where would you suggestion people get drunk in Baku?

Baku has got a lot of pubs and cafes, but I’d advise guys who would like to drink in a civil and quiet place to go to TRASH Art Cafe. This cafe is located inside a theatre. People would enjoy themselves quite a lot there. Actually, this cafe is specifically for people who value politeness and want to have fun in an enjoyable way. If you would like to just get drunk, you could go to the pubs near the Baku Train Station!


Category: Uncategorized

Nihad Gulamzada is a photographer that we’ve been fond of for a long time at No-Yolo. He’s a Baku native that has been working in photography since 2012. He is a student at Bakı Jurnalistika Məktəbi (Bau School of Journalism) where he is majoring in multimedia. In 2014, he won first prize in Take a true, a photography competition hosted by the organization Art for Democracy. He is also an actor and studied violin for a couple of years but was no good at it. He kindly agreed to answer some questions that we had for him about his work, Baku and its railways:

Since the independence of Azerbaijan, Baku has been awash with money from the oil revenue generated by SOCAR. There has been a tremendous amount of investment spent on infrastructure and construction that has transformed the city from a typical post-Soviet city into the Dubai of the Caucasus. How do you feel about this transformation?

This is too controversial of a topic. It is good if Azerbaijan, especially Baku, is compared to Dubai. However, the question is, “Are people happy in this beautiful ‘Dubai’?” Nope, I don’t think so. The money that is coming from the oil belongs to the people. It should be spent only for people but unfortunately it is not like that. Poverty is growing day by day. It is okay that glorious buildings are being built and some of us admire them from afar but can people enter those palaces? No they can’t. The reason why Baku looks beautiful is because it’s new facade is geared towards glamorous people. So, Baku looks happy but the population isn’t.

I first took notice of your photography because I thought they made Baku appear almost charmingly dark. They conflicted with the attempts by the Azeri state to advertise the city as this bastion of high fashion and fine dining. Despite the amazing economic growth of the city, the identity of Baku as a city has not been solidified in the public imagination in Western Europe/North America, unlike cities such as Moscow and Kiev. What makes Baku unique as a city? What is that distinctive cocktail of flaws and beauty that makes Baku what it is?

My photos indicate Baku’s real face but it isn’t always beautiful. What can I do if I see the ugliness of Baku every day? I must shoot what I see. Baku was a beautiful city in the past. For me, Baku now looks tired and miserable. It had sincerity in the Soviet period. It was poor but it was kind and had a good landscape. Today, Baku just looks like a girl with too much make up.

The government presents Azerbaijan’s national food all around the world but a normal Azerbaijani can only eat those meals during holidays. Azerbaijan was known for its rich culture but today it is declining. The arts are not supported and artists get no help from the government. The are only two independent theatres in Azerbaijan and they cannot pay their rent. Even governmental organizations try to ignore them. Look, that’s why today’s Baku is not old Baku. A city ignoring arts can only face a collapse. The young try hard to prevent it but they’re not supported.

It was interesting that you set this photo series at the railroad station because it offers a very symbolic contrast with the new image of Baku. The railroad system was infrastructure implemented by the Soviet Union whereas other modes of transportation, like the refurbished Heydar Aliyev International Airport, are utilized to present the new image of Baku. What aspect of the train station appealed to you?

Heydar Aliyev International Airport is really beautiful. It was supposed to be beautiful because it was named in memory of our current president’s father who also was the president before he died. That’s not true of our railroads. That infrastructure is a leftover from the Soviet times. I believe that it will be repaired right after it is named in honor of Heydar Aliyev. It will be number one in the world!

I live near to the station everyone knows as Old Station. I used to walk along its long platform. It was a calm and quiet area. Trains there carried mostly the poor passengers. I wanted to take many photos there but after three or four hours I could only manage to take seven pictures because it is forbidden to take photos while in the station. The police were preventing me, as you know. I was curious to take people’s photos while they were crossing very fast in front of me without stopping. It was a good landscape. It was peaceful for me. The train stopped and people were crossing. I could only take those photos in the series. Who knows how many millions of people had crossed there since the Soviet Union? How many people those trains had seen?

Lastly, you surely know from our communication No-Yolo firmly believes if you want to understand anything about a city then you must get drunk there. Where would you suggestion people get drunk in Baku?

Baku has got a lot of pubs and cafes, but I’d advise guys who would like to drink in a civil and quiet place to go to TRASH Art Cafe. This cafe is located inside a theatre. People would enjoy themselves quite a lot there. Actually, this cafe is specifically for people who value politeness and want to have fun in an enjoyable way. If you would like to just get drunk, you could go to the pubs near the Baku Train Station!


Category: Uncategorized

Nihad Gulamzada is a photographer that we’ve been fond of for a long time at No-Yolo. He’s a Baku native that has been working in photography since 2012. He is a student at Bakı Jurnalistika Məktəbi (Bau School of Journalism) where he is majoring in multimedia. In 2014, he won first prize in Take a true, a photography competition hosted by the organization Art for Democracy. He is also an actor and studied violin for a couple of years but was no good at it. He kindly agreed to answer some questions that we had for him about his work, Baku and its railways:

Since the independence of Azerbaijan, Baku has been awash with money from the oil revenue generated by SOCAR. There has been a tremendous amount of investment spent on infrastructure and construction that has transformed the city from a typical post-Soviet city into the Dubai of the Caucasus. How do you feel about this transformation?

This is too controversial of a topic. It is good if Azerbaijan, especially Baku, is compared to Dubai. However, the question is, “Are people happy in this beautiful ‘Dubai’?” Nope, I don’t think so. The money that is coming from the oil belongs to the people. It should be spent only for people but unfortunately it is not like that. Poverty is growing day by day. It is okay that glorious buildings are being built and some of us admire them from afar but can people enter those palaces? No they can’t. The reason why Baku looks beautiful is because it’s new facade is geared towards glamorous people. So, Baku looks happy but the population isn’t.

I first took notice of your photography because I thought they made Baku appear almost charmingly dark. They conflicted with the attempts by the Azeri state to advertise the city as this bastion of high fashion and fine dining. Despite the amazing economic growth of the city, the identity of Baku as a city has not been solidified in the public imagination in Western Europe/North America, unlike cities such as Moscow and Kiev. What makes Baku unique as a city? What is that distinctive cocktail of flaws and beauty that makes Baku what it is?

My photos indicate Baku’s real face but it isn’t always beautiful. What can I do if I see the ugliness of Baku every day? I must shoot what I see. Baku was a beautiful city in the past. For me, Baku now looks tired and miserable. It had sincerity in the Soviet period. It was poor but it was kind and had a good landscape. Today, Baku just looks like a girl with too much make up.

The government presents Azerbaijan’s national food all around the world but a normal Azerbaijani can only eat those meals during holidays. Azerbaijan was known for its rich culture but today it is declining. The arts are not supported and artists get no help from the government. The are only two independent theatres in Azerbaijan and they cannot pay their rent. Even governmental organizations try to ignore them. Look, that’s why today’s Baku is not old Baku. A city ignoring arts can only face a collapse. The young try hard to prevent it but they’re not supported.

It was interesting that you set this photo series at the railroad station because it offers a very symbolic contrast with the new image of Baku. The railroad system was infrastructure implemented by the Soviet Union whereas other modes of transportation, like the refurbished Heydar Aliyev International Airport, are utilized to present the new image of Baku. What aspect of the train station appealed to you?

Heydar Aliyev International Airport is really beautiful. It was supposed to be beautiful because it was named in memory of our current president’s father who also was the president before he died. That’s not true of our railroads. That infrastructure is a leftover from the Soviet times. I believe that it will be repaired right after it is named in honor of Heydar Aliyev. It will be number one in the world!

I live near to the station everyone knows as Old Station. I used to walk along its long platform. It was a calm and quiet area. Trains there carried mostly the poor passengers. I wanted to take many photos there but after three or four hours I could only manage to take seven pictures because it is forbidden to take photos while in the station. The police were preventing me, as you know. I was curious to take people’s photos while they were crossing very fast in front of me without stopping. It was a good landscape. It was peaceful for me. The train stopped and people were crossing. I could only take those photos in the series. Who knows how many millions of people had crossed there since the Soviet Union? How many people those trains had seen?

Lastly, you surely know from our communication No-Yolo firmly believes if you want to understand anything about a city then you must get drunk there. Where would you suggestion people get drunk in Baku?

Baku has got a lot of pubs and cafes, but I’d advise guys who would like to drink in a civil and quiet place to go to TRASH Art Cafe. This cafe is located inside a theatre. People would enjoy themselves quite a lot there. Actually, this cafe is specifically for people who value politeness and want to have fun in an enjoyable way. If you would like to just get drunk, you could go to the pubs near the Baku Train Station!


Assista o vídeo: Leavin on that midnight train to St. Petersburg Anthony Bourdain Parts Unknown


Comentários:

  1. Shabab

    Na minha opinião, ele está errado. Proponho discuti-lo. Escreva-me em PM, fale.

  2. Iomar

    Mas você mesmo estava tentando assim?

  3. Yozragore

    É notável, muito a informação útil

  4. Aescwine

    Não é significativo.

  5. Culver

    I beg your pardon, that doesn't suit me at all.

  6. Nilar

    a ideia notável e é oportuna

  7. Kigami

    gee chipmunk =)



Escreve uma mensagem